Enxaqueca – Causas, Sintomas e Tratamentos

por : | 4 Comentários | On : 10 de novembro de 2014 | Categoria : Saúde e Bem Estar

Enxaqueca Tratamento - Enxaqueca pra que te quero?

Enxaqueca – Os gatilhos alimentares e dicas de tratamentos naturais

Alguns alimentos possuem substâncias que, quando absorvidas pelo intestino e carregadas pela circulação sanguínea, atingem centros cerebrais, disparando os processos que desencadeiam a enxaqueca. Confira mais sobre esses gatilhos e qual o tratamento.

O que é Enxaqueca?

Sinônimos: dor de cabeça, cefaleia

A enxaqueca é um dos tipos de cefaleia (dor de cabeça). A enxaqueca se caracteriza por uma dor pulsátil em um dos lados da cabeça (às vezes dos dois), geralmente acompanhada de fotofobia e fonofobia, náusea e vômito. A duração da crise varia de quatro a 72 horas, podendo ser mais curta em crianças. Segundo o Ministério da Saúde, de 5 a 25% das mulheres e 2 a 10% dos homens tem enxaqueca. A enxaqueca é predominante em pessoas com idades entre 25 e 45 anos, sendo que após os 50 anos essa porcentagem tende a diminuir, principalmente em mulheres. A doença ocorre em 3 a 10% das crianças, afetando igualmente ambos os gêneros antes da puberdade, mas com predomínio no sexo feminino após essa fase. A enxaqueca pode ser divida entre com aura ou sem aura, e essas em episódica ou crônica. Segundo dados do Ministério da Saúde, 64% do total desses pacientes apresentaram enxaqueca sem aura, 18% com aura e 13% com e sem aura. Os restantes 5% apresentaram aura sem cefaleia.

A enxaqueca crônica se caracteriza por cefaleia em 15 ou mais dias do mês, sendo oito dias com crises típicas de enxaqueca, por mais de três meses, na ausência de abuso de medicamentos.

A enxaqueca é uma doença neurológica crônica, incapacitante, que afeta de 10 a 20% da população mundial.
A maioria das pesquisas relacionadas à alimentação refere-se às dietas de eliminação de alguns alimentos prejudiciais, que até têm sido eficazes em alguns estudos. Mesmo assim, é difícil estabelecer os alimentos que devem ser evitados, uma vez que os causadores da enxaqueca variam de pessoa para pessoa.

Os sintomas são: dor latejante, de um lado da cabeça (pode ser dos dois), de moderada a forte intensidade, incômodo com a luz e o barulho e enjoos. Pode ocorrer alterações na vista como pontos luminosos, escuros, linhas em zig zag que antecedem ou acompanham as crises de dor.

Listamos alguns fatores e alimentos que, na maioria dos casos, contribuem para alavancar as dores causadas pela enxaqueca. São eles:

• Desidratação;
• Falta de Alimentos (Hipoglicemia);
• Refeições Irregulares (Hipoglicemia seguida de Hiperglicemia mediante consumo de alimentos ricos em carboidratos);
• Álcool;
• Alimentos com Tiramina (queijos curados, vinho tinto, bebidas alcoólicas e carnes processadas);
• Produtos com Cafeína (café, energético, bebidas a base de cola);

Além de outros fatores não ligados à alimentação como:

• Mudanças bruscas de temperatura e umidade;
• Perfumes e outros odores muito fortes;
• Esforço físico;
• Luzes e sons intensos;
• Abuso de medicamentos, incluindo analgésicos.
• Dormir mal;
• Irritações e alteração de humor;
• Ciclo Hormonal;
• Preocupações excessivas como ansiedade, tensão e estresse;

Alguns alimentos também bastante citados como gatilhos da enxaqueca são: Chocolate, vinho, queijos, frutas cítricas, café, trigo, oleaginosas, leite e derivados.

Convivendo/Prognóstico

Durante uma crise de enxaqueca, siga essas recomendações:

  • Tome o medicamento: pessoas que tem enxaqueca frequente devem sempre andar com seus medicamentos. Isso porque algum tempo após a dor de cabeça se iniciar, ocorre um processo de sensibilização central, que mantém a dor e a torna mais rebelde aos analgésicos
  • Entenda o que alivia a sua dor: como os desencadeantes da enxaqueca são diferentes para cada um, a forma de aliviar essa dor também varia. Alguns dos tratamentos não medicamentosos mais comuns incluem compressas quentes ou frias, massagens, terapia de biofeedback, homeopatia e acupuntura
  • Trate os sintomas separadamente: como o analgésico trata apenas a dor da enxaqueca, os outros sintomas devem ser tratados de forma tópica. Esse cuidado é redobrado com aqueles que sofrem com vômitos, pois ele pode golfar os analgésicos, precisando ir ao pronto socorro para receber drogas injetáveis
  • Descanse em um local escuro e silencioso: durante uma crise de enxaqueca, o paciente não suporta ambientes barulhentos e com muita luz. Por isso, o ideal é se sentar o deitar – o que for mais confortável – em um local com pouca luz e sem barulhos, evitando ao máximo atividades que o tirem do repouso
  • Faça refeições leves e hidrate-se: beba muito líquido, tanto água quanto soluções hidratantes disponíveis no mercado. Caso haja vômito, o melhor é não ingerir alimentos sólidos e, em casos graves, procurar um pronto atendimento para receber medicações injetáveis mais potentes.

O que comer?

Alguns dos alimentos que contribuem para o tratamento natural da enxaqueca são as fibras e frutas vermelhas, que são altamente recomendadas por serem ricas em antioxidantes. Cerejas também são ótimas fontes pois além de conterem antioxidantes, elas possuem Melatonina, onde sua principal função no organismo é regular o sono.
As verduras também são bastante recomendadas no tratamento.

Tratamento de Enxaqueca?

Antes de iniciar o tratamento para enxaqueca, é necessário saber se o diagnóstico está correto e qual o fator desencadeante dela. No geral, o melhor é evitar esses desencadeantes e tomar o medicamento indicado pelo médico quando uma crise aparecer. Os medicamentos para prevenção da enxaqueca incluem neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, antivertiginosos. A indicação, no entanto, dependerá de cada caso.

Links Úteis

Sociedade Brasileira de Cefaleia

 

Não deixe de conferir essas e outras dicas em nossas Redes Sociais

Sinta-se à vontade para curtir, comentar, compartilhar e nos ajudar com as suas informações e dicas sobre enxaqueca e seus tratamentos.
Siga-nos: Facebook e Instagram

Foto: Divulgação
Fonte: Minha Vida

Share This Post!

Comentários (4)

  1. Postado por Clara Garcia on 23 de janeiro de 2015

    Muito show gostei muito do site e da matéria

  2. Postado por Luci Carla on 28 de janeiro de 2015

    Eu amei essa postagem! 😉

  3. Postado por Carol Bená on 3 de abril de 2015

    Muito bom o post!!! Tenho muita enxaqueca, espero que algumas dessas dicas me ajude rs

  4. Postado por Regina Costa on 28 de abril de 2015

    Nossa, costumo ter muita enxaqueca mesmo. Acho melhor já ir ver o que pode ser…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *